Pular para o conteúdo principal

Morre o primeiro relojoeiro de Campo Grande




Morre em Campo Grande, em 9 de novembro de 1983, o cidadão português, Avelino dos Reis, primeiro relojoeiro da cidade. Nascido em 29 de novembro de 1898, filho de Albina Mendes da Cunha e Aurélio dos Reis, casou-se com Irene de Almeida, com quem teve um filho, Albano de Almeida Reis. Em Portugal aprendeu a consertar relógios com um tio. Ainda muito jovem deixou sua terra e partiu para a França, Canadá e Estados Unidos, onde morou por dois anos e trabalhou numa indústria de relógios e ótica.

Em 1928 chegou ao Rio de Janeiro, seguindo para Santos, em São Paulo, onde por cerca de quatro anos exerceu sua profissão. Em 16 de janeiro de 1932, já viúvo, muda-se e fixa residência em Três Lagoas, onde casou-se com Dalila Simões e teve um filho, Alfredo. Tendo seu pai falecido em Portugal, mandou vir para o Brasil sua mãe, as suas irmãs e e seu filho, que aqui chegaram em 1937. Neste mesmo ano mudou-se para Campo Grande, hospedando-se a princípio na Pensão Bentinho.

"Em Campo Grande - descreve sua biógrafa - foi o pioneiro no ramo de relojoaria. Sua firma Avelino dos Reis & Companhia Ltda., localizada na rua 14 de Julho, entre as ruas Barão do Rio Branco e Dom Aquino, bem no centro da cidade, tornou-se com o passar dos tempos a mais tradicional do Estado. Era especializada em relojoaria e ótica de precisão, assim como presentes finos, destacando-se joias importadas, cristais e louças de qualidade".

Apaixonado pelo esporte desde sua juventude além-mar, Avelino dos Reis foi um grande incentivador do futebol amador em Campo Grande.


FONTE: Ledir Marques Pedrosa, O Português que escolheu Campo Grande para viver, O Estado Mato Grosso do Sul, 4 de março de 2017.


FOTO: acervo Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul.    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Inaugurada hidrelétrica de Campo Grande

Campo Grande recebe em 13 de abril de 1923, sua primeira hidrelétrica. Trata-se de pequena usina montada no córrego Ceroula a dez quilômetros da sede do município. O ato solene de início de suas atividades contou com a presença de Álvaro de Carvalho e Altino Arantes, por algum tempo responsável pela iluminação da vila.¹

Poucos dias antes da inauguração, a convite da direção da empresa concessionária, a reportagem do Jornal do Comércio esteve no canteiro de obras e deu detalhes sobre o relevante investimento:

Para darmos aos nossos leitores uma boa ideia geral do adiantamento dos importantes serviços que para este fim estão sendo executados pela Companhia Matogrossense de Eletricidade Limitada, aproveitamos a gentileza do convite do ilustrado e competente advogado da companhia, sr. dr.Alindo Lima, para uma visita às grandes obras que estão sendo ultimadas no ribeirão Ceroula.

Assim, às nove horas de quinta-feira última, chegávamos no automóvel da empresa, ao posto em que foram feitos os s…

Prefeitura soterra rego-d'água que abastecia a vila

O nascimento de Jânio Quadros

Filho do farmacêutico Gabriel Quadros (gerente da Farmácia Royal, de propriedade do médico Vespasiano Barbosa Martins), nasce em Campo Grande, em 25 de janeiro de 1917, Jânio Quadros. Ainda na infância mudou-se da cidade. Formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo, em 1939. Iniciou a carreira política em 1948, como vereador na capital paulista, pelo Partido Democrata Cristão. Em 1951 elege-se deputado estadual. Em março de 1953 vence a eleição para a prefeitura de São Paulo. Em 3 de outubro de 1954 é eleito governador paulista, na sucessão de Lucas Nogueira Garcez. Em 1959 elege-se deputado federal pelo Estado do Paraná. Em 3 de outubro de 1960 vence o general Teixeira Lott e sucede Juscelino Kubitschek na presidência da República, onde permanece apenas sete meses, renunciando, tendo como justificativa pressão de forças ocultas. Com direitos políticos suspensos pela ditadura militar, retornaria à vida pública em 1985, como prefeito de São Paulo, derrotando Fernando Henrique C…